Processo, progresso, regresso, retrocesso, ...

Recebi por correio electrónico este editorial de um jornal. Neste correio electrónico não se fazia referencia ao autor ou a que edição/jornal se trataria. Mas por ser um tema actual, achei por bem traze-lo aqui ao estabelecimento :.

"Processo, progresso,
Regresso, retrocesso"

     "As Câmaras Municipais estão a colocar as aldeias às escuras, à noite, desligando as luzes para não gastarem energia. Há cinquenta/sessenta anos atrás, as aldeias também não tinham electricidade, nem de noite nem de dia.
   Leio nos jornais que a moda deste ano vai ser o espartilho e os "soutiens” feitos de materiais duros, como a corticite. Há cinquenta/sessenta anos atrás, as mulheres usavam espartilho.
   Os responsáveis pela Segurança Rodoviária querem instituir a velocidade máxima de 30 km/h. Era o que acontecia há cinquenta/sessenta anos atrás, quando em vez de automóveis havia carroças nas ruas.
   Também li que, devido ao aumento do preço do tabaco, já há muita gente que retornou o hábito de fumar o tabaco de enrolar, tal como era frequente há cinquenta/sessenta anos atrás.
   Devido à carestia dos transportes, já há muita gente em Lisboa, a andar nos transportes públicos (foi o "Telejornal" da RTP que o demonstrou, há dias). Tal e qual como antes, iam para o emprego de cacilheiro, de autocarro/eléctrico ou de comboio.
   Por causa do desemprego e dos cortes que os nossos embriagados governantes estão a fazer, já se vêem pessoas a fazer hortas na periferia de Lisboa, produzindo couves, batatas, feijões e cebolas, nos cantinhos abandonados das urbanizações. Tal como faziam os seus pais e avós, há cinquenta/sessenta anos atrás.
   Aliás retoma-se, actualmente, o conceito de " Agricultura biológica" que se fazia há cinquenta/sessenta atrás, antes de surgir a praga dos adubos industriais. E andam ai engenheiros a ensinar técnicas de compostagem que era o que se fazia, há cinquenta/sessenta anos, ao aproveitar resíduos orgânicos, chamava-se-lhe estrume.
   Li num jornal diário e vi uma peça de noticias da televisão que as cabras estão a ser utilizadas para prevenir os incêndios florestais, mandando-as pastar para as florestas comer aquilo que, não sendo eliminado constitui propicio à deflagração dos fogos. Essa técnica  era amplamente utilizada há cinquenta/sessenta anos atrás.
O mais interessante é que tudo isto está a acontecer em nome do futuro, recuperando aquilo que havia no passado.
   Como lhe chamar? Processo? Progresso? Regresso? Ou Retrocesso?"

13 comentários:

Daniel Santos disse...

tempos modernos.

João António disse...

Daniel Santos
tempos modernos, medidas antigas !

Catsone disse...

Chamaria de inteligência e bom senso.

Abraço.

João António disse...

Catsone
Bom senso que ninguém quer observar .
Abraço

Eduardo Miguel Pereira disse...

É o Regresso ao passado, para se iniciar finalmente o Processo que permita o Progresso sem Retrocesso.

João António disse...

Eduardo Miguel Pereira
Esperamos que todos que sim .

Táxi Pluvioso disse...

Eu é que nunca percebi por que razão Portugal deixou de ser um país subdesenvolvido (chamavam "em vias de desenvolvimento"), agora já percebi, vivia com dinheiro dos outros. É pena Portugal ter uma população muito nova, nasceram quase todos em 2000, mas cerca de 1990, quando chovia dinheiro da CEE, sabia-se que o futuro não seria brilhante, mas a malta encolhia os ombros e dizia: que venha a massa que nós gastamos com muito prazer. bfds

João António disse...

Táxi Pluvioso
Nem mais, tal e qual "bons latinos".
Bom fim de semana .

Campista selvagem disse...

Ele há males que vêm por bem, no entanto todos poderemos tirar elações, todos temos culpas no cartório, e quando digo todos estou a pensar pelo menos nos que têm idade de voto!
lembro-me de ouvir falar no tempo que vigorou o estado novo, lembro-me de que as pesoas se queixaram que o estado so pensava em finanças, sobejovava o povo...
No entanto sei que o dito ditador morreu pobre, os de hoje meu caro fasem uma montanha de asneiras e depois saem com uma enormidade de condecurações e reformas avultadas, de seguida vão receber churudos ordenados nas empresas publicas ou semi publicas, (quando digo os de hoje estou a referir-me a todos incluindo o presidente da réplublica.)aliás se querem poupar comecem por devolver os submarinos aos alemães, eles que os comam...
(gostei do espaço vou ficar por aqui a coscuvilhar)

João Afonso Machado disse...

E também convirá retroceder nas instituições politicas rumo ao Progresso e à Modernidade.
Tira-se a Presidência da República e renova-se o Trono.
Poupa-se em clivagens e eleições como se poupa na hortaliça quando não se vai ao mercado e se cultiva no quintal.

João António disse...

Campista selvagem
Bem vindo(a) aqui ao meu estabelecimento.
Algumas conclusões que também concordo, não esquecendo que hoje se vive definitivamente melhor. Em relação aos políticos assino por baixo .

João António disse...

João Afonso Machado
Bem vindo(a) aqui ao meu estabelecimento.
Concordo com o facto de se renovar o trono .

João Afonso Machado disse...

Cá voltarei ao seu estabelecimento, com muito gosto. O branco da casa é excelente.