COM O CU A ARDER

O povo está farto.
O povo não gosta destes políticos que o aldraba há 30 anos.
O povo quer afastar esta gente.
O povo já pensa em monarquia.
E em resultado do descontentamento geral, assistimos aos políticos de topo quase em pânico e vêm agora, aproveitando o centenário da República, tentar criar um movimento de união. Uma união que nos dias de hoje será absolutamente impossível.
Cavaco Silva apelou a um "novo espírito de cidadania".
Mário Soares defende "consensos possíveis".
Jorge Sampaio diz que Portugal precisa de "grande unidade de propósitos".
Resumindo: estão com o cu a arder.

Assim é que é falar João Severino

16 comentários:

Daniel Santos disse...

nem mais.

João António disse...

Daniel Santos
Completamente.

Táxi Pluvioso disse...

Isso passa, isso passa rapidamente.

Renato_Seara disse...

O povo já pensa em Monarquia? Certamente não será o povo, porque diz-nos a história que a monarquia ao povo só lhe proporcionou miséria atrás de miséria.:DD

manuel gouveia disse...

Eles gostam mesmo é de festa... e sabem que o povo continuará a votar neles!

João António disse...

Táxi Pluvioso
Não sei se passará assim tão rápido.

João António disse...

Renato_Seara
Discordo, pois se observarmos bem na Europa os países que têm monarquia estão bem mais desenvolvidos que nós, mesmo olhando aqui para o nosso lado a Espanha.

João António disse...

manuel gouveia
Até um dia Manuel . . .

Pronúncia disse...

O Povo tem memória curta... infelizmente!

Ferreira-Pinto disse...

Vi por aqui um assomo de defesa da Monarquia recorrendo ao exemplo de que na Europa quem tem Monarquia está melhor que nós; pois, mas também há quem sendo República o esteja (lembro-e assim de repente da França, da Alemanha, da Itália, da Aústria, da Suíça, da Finlânda ...).
Não creio que a opção pura e simples entre Monarquia e República seja a fórmula mágica, o elixir do desenvolvimento automático.

Aliás, D. Carlos (que pelos dias de hoje merece suspeitos encómios de um historiador como Rui Ramos) tinha por Primeiro um ditador e referia-se ao País como "a piolheira"!
Coloquemos antes o acento tónico nas gentes, na estrutura orgância do Estado ...

E se o cu dos políticos arde, também arde o nosso. Não rejubilemos, portanto, deste modo tão certeiro.

Renato_Seara disse...

João António mas já no tempo da monarquia esses países eram mais desenvolvidos que o nosso...ou não eram?

João António disse...

Pronúncia
O que é pena, pois podíamos estar mais bem remediados.

João António disse...

Ferreira-Pinto
Meu caro a defesa de um tipo diferente de sociedade passa por mudar as fraquezas republicas. Claro que a monarquia pode não ser a ideal, mas é um principio para começar a pedir responsabilidades aos nosso eleitos directamente. O que nesta republica está fora de questão basta-nos tomar como exemplo o que se passa criminalmente, quem tem milhões jamais cumprirá pena neste tipo de sociedade.

João António disse...

Renato_Seara
Em parte estamos de acordo. Eu só quero um tipo de sociedade que nós todos ao elegermos os nossos representantes lhes possamos pedir responsabilidades pessoalmente sem passar pelos partidos que não passam de grupos de pressão onde existem todos os tipos de pessoas, menos as que realmente podem fazer alguma coisa por "nós povo". A questão da monarquia para mim, coloca-se porque a desilusão com este regime semi-presidencial só nos tem conduzido a uma pré-falência.

Renato_Seara disse...

João António eu também acho que o mal do país neste momento está no imenso poder que os partidos políticos têm e nas ramificações que os mesmos têm na dita "economia". Aliás o medo de perder esse poder é tanto que todos os partidos recusam-se, salvo erro, a assinar a uma lei que permita que independentes concorram ao cardo de Primeiro Ministro, que quer queiramos quer não é que do(mina) Portugal.

João António disse...

Renato_Seara
Certíssimo meu caro.