O menino japonês
No primeiro dia de aulas, numa escola secundária dos EUA, a professora apresentou aos alunos um novo colega, Sakiro Suzuki, vindo do Japão.

A aula começa e a professora diz:
Vamos ver quem conhece a história americana.
Quem disse:
'Dê-me a liberdade ou a morte?'
Silêncio total na sala. Apenas Suzuki levanta a mão: -
'Patrick
Henry em 1775, em Filadélfia'.

Muito bem, Suzuki. E quem disse: -'
O Estado é o povo, e o povo não pode afundar-se? '
Suzuki: -
'Abraham Lincoln, em 1863, em Washington'.
A professora olha os alunos e diz:
- 'Não têm vergonha? Suzuki é japonês e sabe mais sobre a história americana do que vocês! '
Então, ouve-se uma voz baixinha, lá ao fundo: -
'Japonês filho da puta! '
- 'Quem foi?
' - grita a professora
Suzuki levanta a mão e, sem esperar, responde:
- '
General McArthur, em 1941, em Pearl Halbour'.
A turma fica super silenciosa... apenas se ouve do fundo da sala:
-
'Acho que vou vomitar'.
A professora grita: - 'Quem foi? '. E Suzuki: -
'George Bush Pai, ao
Primeiro-Ministro Tanaka, durante um almoço em Tóquio, em 1991'
.
Um dos alunos diz: -
'Chupa o meu pau! '
E a professora, irritada: -'Acabou-se! Quem foi agora? '
E Suzuki, sem hesitações: - '
Bill Clinton a Mónica Lewinsky, na Sala Oval da Casa Branca, em Washington, em 1997'.
E outro aluno diz ao fundo: -
'Suzuki de merda! '
E Suzuki responde: -
'Valentino Rossi, no Grande Prémio do Brasil de Moto GP, no Rio de Janeiro, em 2002'.
A turma fica histérica, a professora desmaia, a porta abre-se e entra o director, que diz: -
'Que merda é esta? Nunca vi uma confusão deste tamanho!
E Suzuki, bem alto: -
'Mariano Gago para José Sócrates, em 2007, após ter recebido o relatório da inspecção feita à Universidade Independente...

4 comentários:

Estafermococus disse...

Ou quem recebeu o DVD do Charles Smith, terá dito a mm coisa que o Mariano.

Daniel Santos disse...

Muito bom!

manuel gouveia disse...

O Berardo não é dos que se podem queixar, cá em Portugal o estado (CGD)acorreu em seu apoio... lá fora é que a coisa não lhe foi tão favorável.

Pelos vistos no mercado livre a especulação tem os seus riscos...

Agora, que tem alguma razão tem.

Tijoão da Tasca disse...

Claro que o Berardo podia ter razão, se não fosse um daqueles a quem trocaram milhões por acções ! E quando a coisa ficou preta tivesse sido "ajudado" !